HarboR Informática Industrial Ltda.
info@harbor.com.br
+55 (48) 3333-2249

Os Quatro Fundamentos dos Gráficos de Controle – Fundamento Um

Blog

Os Quatro Fundamentos dos Gráficos de Controle – Fundamento Um

Walter Shewhart (1891-1967) é conhecido como o “pai do Controle de Qualidade Moderno” ou também o “pai do Controle Estatístico de Processos”. Foi um cientista, engenheiro e estatístico que desenvolveu o conceito dos Gráficos de Controle.

Em seu livro Economic Control of Quality of Manufactured Product, Shewhart estabeleceu os Quatro Fundamentos dos Gráficos de Controle ou Fundamentos de Shewhart que iremos tratar nessa série de posts.

 

Fundamento Um:  Gráficos de Controle sempre usarão limites três sigma

O primeiro fundamento de Shewhart nos diz que independente do tipo de gráfico de controle, os limites serão estabelecidos a uma distância de três sigma da linha central. Limites de controle não devem  ser determinados por qualquer cálculo baseado em limites de especificações.

Normalmente, antes de começar a implementar o CEP as empresas já costumam medir as principais características de seus produtos e as comparam com os limites de especificação. Se o produto estiver dentro da especificação, então está tudo bem. Se o produto está fora das especificações, então está tudo ruim.

Se você tem dúvidas sobre a diferença entre limites de controle e limites de especificação, leia o post Gerenciar a Qualidade com Limites de Controle x Limites de Especificação aqui no blog da HarboR.

 


 

Ao iniciar a implementação dos conceitos de CEP, por desconhecimento ou falta de instrução, muitas pessoas intuitivamente “chutam” um valor para o limite de controle baseado nos limites de especificação. Por exemplo “quero trabalhar com um valor de limite de controle baseado em um Cp meta de 1,66”. Esse tipo de ideia distorce os conceitos do CEP e impede que ele funcione de verdade, pois ao trabalhar com limites que não representam  o processo, os alarmes gerados por esse não representarão o momento certo de agir no processo.

Por isso, lembre-se : Limites de controle são baseados em dados do próprio processo e representam os limites naturais do processo, isto é: se nada diferente ocorrer no  processo, podemos esperar que ele se comporte dentro destes limites. Limites de controle são “Limites de Ação” pois eles definem o ponto em que se deve atuar no processo.

 

Veja os outros fundamentos:

Fundamento Dois – Utilizar estatística da dispersão média

Fundamento Três – Definir amostragem e subgrupo racional

Fundamento Quatro – Utilizar o conhecimento adquirido

Você também pode gostar de ler:

Graduada em Engenharia Química pela UFSC .

Atua como especialista de Aplicação na HarboR desde 2013 e é Green Belt Lean Seis Sigma certificada.

Possui experiência na implementação do software InfinityQS -solução para Controle de Qualidade e CEP – em diferentes áreas da indústria.

Confira perfil completo no LinkedIn

3 comments on “Os Quatro Fundamentos dos Gráficos de Controle – Fundamento Um

  1. Bruna Luise Müller , on Mar 12, 2018 at 08:40 Responder

    Olá Mariano,

    Obrigada pelo seu comentário.

    Os limites de controle são sempre estabelecidos a +3 e -3 sigmas da linha central (representada pela média do processo).
    Esse sigma estimado é baseado nas constantes que você comentou.
    Não é correto utilizar o desvio padrão “s” (ou de longo prazo) no cálculo dos limites de controle.
    Talvez esse post aqui ajude a esclarecer melhor a sua dúvida:
    https://www.harbor.com.br/harbor-blog/2017/06/05/por-que-nao-usar-o-desvio-padrao-global-para-o-calculo-dos-limites-de-controle/

    Se não ficou claro, não hesite em perguntar novamente. Ajudar é um prazer para a gente!

    Abraço,
    Bruna

  2. Bruna Luise Müller , on Mar 12, 2018 at 08:34 Responder

    Olá Mariano,

    Obrigada pelo seu comentário.

    Os limites de controle são sempre estabelecidos a +3 e -3 sigmas da linha central (representada pela média do processo).
    Esse sigma estimado é baseado nas constantes que você comentou.
    Não é correto utilizar o desvio padrão “s” (ou de longo prazo) no cálculo dos limites de controle.
    Talvez esse post aqui ajude a esclarecer melhor a sua dúvida:
    https://www.harbor.com.br/harbor-blog/2017/06/05/por-que-nao-usar-o-desvio-padrao-global-para-o-calculo-dos-limites-de-controle/

    Se não ficou claro, não hesite em perguntar novamente. Ajudar é um prazer para a gente!

    Abraço,
    Bruna

  3. Mariano , on Mar 11, 2018 at 19:30 Responder

    Tenho uma dúvida quanto aos limites de controle:
    Quando vou determinar LCS e LCI é confiável usar LC+(3*desvio padrão), pois ao utilizar este método “recomendado por muitos” os resultados obtidos sempre ficam maior do que quando utilizamos as fórmulas com constantes? poderia ajudar nesta questão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cancelar